Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Cavaco: UE deve avançar no crescimento e emprego

"Nós fazemos o nosso trabalho e esperamos que a União Europeia avance na estratégia para o crescimento e o emprego", afirmou Cavaco Silva.

O Presidente da República, Cavaco Silva, defendeu hoje que Portugal está a fazer o seu "trabalho" e espera que a União Europeia "avance" na estratégia para o crescimento e emprego na Cimeira de março. "Nós fazemos o nosso trabalho e esperamos que a União Europeia avance na estratégia para o crescimento e o emprego", afirmou Cavaco Silva na conferência de imprensa conjunta final da reunião de Chefes de Estado sem poderes executivos da União Europeia, em Helsínquia. Cavaco Silva reiterou que no encontro informou os seus homólogos da "implementação do programa de ajustamento em Portugal". "Eles estão bem conscientes de que nós estamos a implementar integralmente o programa que negociámos com a União Europeia e o FMI, no que diz respeito à consolidação orçamental, mas também na aprovação e implementação de reformas estruturais fundamentais para melhorar a competitividade das nossa economia", defendeu.

Importância do acordo de concertação social

O Presidente sublinhou ter mencionado aos outros oito chefes de Estado "a importância do acordo de concertação social que foi aprovado pelas confederações patronais, os sindicatos e o Governo", considerando que foi "uma importante contribuição para melhorar o ambiente social enquanto exigimos aos portugueses medidas muito duras". A Presidente cessante da Finlândia, Tarja Halonen, lembrou hoje, tal como na conferência de imprensa inicial da reunião do "grupo de Arraiolos", a iniciativa do ex-Presidente da República português Jorge Sampaio de, em 2003, reunir os chefes de Estado sem poderes executivos.

Reunião regressa a Portugal em 2014

Tarja Halonen deixou hoje de ser a única chefe de Estado da formação original do "grupo de Arraiolos", já que no dia 1 de março o conservador europeísta Sauli Niinistö toma posse como Presidente da Finlândia, embora já tenha estado nesta reunião. Integram atualmente o grupo Portugal, Alemanha, Letónia, Finlândia, Itália, Áustria, Polónia, Hungria e Eslovénia. A próxima reunião do "grupo de Arraiolos" decorrerá na Polónia, cujo Chefe de Estado foi o único ausente em Helsínquia, e regressa a Portugal em 2014.