Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O “mundo inteiro” quer que o Reino Unido evite um Brexit sem acordo, diz PM japonês

Stefan Rousseau/WPA Pool/Getty Images

De visita a Londres, Shinzo Abe prometeu à primeira-ministra britânica, Theresa May, “apoio total” ao acordo de retirada que aquela negociou com a UE e que será votado na Câmara dos Comuns na terça-feira. “A única forma de evitar [um Brexit] sem acordo é ter um acordo e aprovar um acordo”, lembrou May. Contudo, a votação não lhe deverá ser favorável

O “mundo inteiro” quer que o Reino Unido evite um Brexit sem acordo, afirmou esta quinta-feira o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, depois de se encontrar com a sua homóloga inglesa, Theresa May. Em Londres, Abe prometeu “apoio total” ao acordo de retirada que May negociou com a União Europeia (UE) e que será votado na Câmara dos Comuns na próxima terça-feira.

May disse que deixar a UE proporcionava “uma oportunidade sem precedentes” para o Reino Unido e o Japão fortalecerem as suas relações. Os dois chefes de Governo comprometeram-se a trabalhar sobre o acordo comercial entre o Japão e a UE para conseguirem “um acordo bilateral ambicioso” entre Tóquio e Londres após o Brexit.

O Japão pretende “desenvolver ainda mais esta forte parceria com o Reino Unido, investir mais no seu país e desfrutar de mais crescimento económico com o Reino Unido”, disse Abe a May. “É por isso que verdadeiramente esperamos que seja evitado um Brexit sem acordo e, de facto, esse é o desejo do mundo inteiro”, acrescentou. E manifestou o “total apoio” do Japão ao esboço do acordo de retirada negociado entre a UE e May, que contempla “uma transição para garantir estabilidade legal das empresas que têm investido neste país”.

Corbyn reforça apelo para novas eleições

Ao lado do primeiro-ministro japonês, a chefe do Executivo britânico lembrou que “a única forma de evitar [um Brexit] sem acordo é ter um acordo e aprovar um acordo, e o acordo que temos em cima da mesa – a UE deixou isso claro – é o único acordo”. O acordo facilita “um entendimento comercial mais ambicioso entre a UE e o Reino Unido do que com qualquer outro país terceiro”, ao mesmo tempo que permite ao Reino Unido “negociar bons acordos comerciais nos nossos termos com países à volta do mundo, como o Japão”, sublinhou ainda.

O acordo negociado entre o Reino Unido e a UE parece condenado à rejeição no Parlamento na terça-feira, com 110 deputados do Partido Conservador a dizerem que votarão contra e com o chumbo do Partido Trabalhista. O líder do Labour, Jeremy Corbyn, reforçou o seu apelo para a realização de eleições “na primeira oportunidade” se o acordo for rejeitado. “Um Governo que não consegue fazer passar as suas propostas na Câmara dos Comuns não é Governo algum”, disse.

Nos últimos dias, May tem falado com deputados trabalhistas e com líderes sindicais numa tentativa de conseguir a aprovação do acordo. A saída do Reino Unido da UE está agendada para 29 de março.